Pesquisar este blog

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

ACEITA BALINHA?

Chego ao caixa de um conhecido supermercado de Parauapebas e pago a conta no valor de $74,70. Entrego $75,00 e a moça do caixa me pergunta se aceito balas de troco. Respondo: não, obrigado. Ela me olha com a cara feia, remexe na cadeira e com a maior mal vontade chama o auxiliar para procurar moedas. Os outros clientes na fila ficam impacientes e me olham como se eu fosse um ET. O auxiliar retorna e informa que não conseguiu os $0,30. Digo à caixa que pela lei do troco ela terá que me devolver o valor arredondado para mais, ou seja, $0,50, e ela impertinente responde: "mas eu não posso ficar no prejú. Fazendo questão por causa de $ 0,30?" Respondo: sim, no dia em que você aprender valorizar cada centavo vai estar numa situação bem melhor do que a de um caixa de supermercado. O povo na fila começa a protestar pela demora, e penso em ceder e sair sem o troco, pois não estou a fim de comprar balinhas.  Reflito, e resolvo exercer minha cidadania. Digo: moça, você não tem culpa por não ter troco e nem é justo pagar pelo prejuízo como afirma. Portanto, chame o gerente. Depois de alguns minutos, ela me devolve 0,50 centavos. 

Em outra situação, a caixa foi mais cara de pau ainda. Numa loja de eletrônico do Patage shopping, comprei uma caixa de cápsulas de café que custa $19,90. Dou $20,00, a moça guarda a nota e me diz: "muito obrigado". Respondo: por nada, mas o troco por favor. Me olha com uma cara estranha e me devolve os dez centavos. 

A lei do troco é tão antiga e mesmo assim, a maioria do povo brasileiro ainda não a conhece. Intitulada Lei Delegada número 4, de 26/09/62, art. 11, alínea i, bem como o Código de Defesa do Consumidor, art. 39, inciso I, e a Lei nº 8.137/90, art. 5º, inciso II, determinam que o comerciante é obrigado a providenciar sempre o troco, e caso não tenha, deve devolver o valor arredondado para mais. Exemplo: se o troco for de $ 0,25 e não tiver a moeda, deve devolver $0,30, $0,50 ou $1,00.

Não se trata de ser pão duro ou encrenqueiro. Exija sempre o seu troco, valorize cada centavo, pois quem não dá valor ao seu dinheiro é porque conseguiu de forma ilícita. É uma questão de educação, de cidadania. Imagine o quanto um supermercado não lucra ficando com pequenos valores ou fazendo venda casada de balinhas! Uma empresa não pode perder $ 0,20 e você pode perder $ 0,30? Se quiser doar seus centavos, doe a uma instituição filantrópica, mas não doe às empresas. Simples e prático.

Quando estive na Europa, percebi o quanto o povo europeu está evoluído no quesito economia. Lá, ninguém fica com um centavo seu. Em algumas vezes, paguei com cinco euros um produto que custava 4,99. Ao sair, o vendedor me chamou, dizendo que faltava eu receber o troco. Apenas um centavo. Isso é o que eu chamo de civilidade e educação!

Que tal decidir hoje exercer sua cidadania de maneira plena? Seja um centavo, exija, pois é seu. Não se importe com os comentários jocosos das pessoas sem consciência e nem dos vendedores maliciosos. Com certeza, você estará bem melhor do que eles.

Uma excelente ideia seria a Câmara dos vereadores aprovar uma lei que obrigue os estabelecimentos comerciais a fixar cartazes alertando aos consumidores sobre a obrigatoriedade de devolver o troco. Que tal vereadores?

Um comentário:

  1. É o preço da idade do nosso querido município "embrião"
    falta amadurecimento.abraco de Janilton Aranha.

    ResponderExcluir